comidas de rua na China

As comidas de rua na China

Não adianta pedir para o cozinheiro botar pouca pimenta. Tudo que você pedir pra comer nas ruas de Chongqing vai arder na sua boca mais do que qualquer coisa que você já tenha experimentado na sua vida. É boa, mas é apimentada. Mesmo assim, você precisará de sorte para achar uma mesa vazia nos restaurantes da rua Tiyu, no bairro Yuzhong, marco zero da comida de rua na cidade de Chongqing. Conheça um pouco mais sobre a apimentada comida chinesa de rua através das fotos abaixo.

comidas de rua na China
Grupo comendo um caldo de uma tradicional Huo Guo (panela quente, em mandarim) que separa a comida apimentada da não apimentada, em restaurante nas proximidades da rua Tiyu, Chongqing. Foto: M. Scott via ChinaFile
Gang Shan Zhazha
Vai chegando a noite e as pessoas começam a se aglomerar em frente ao Gang Shan Zhazha, um restaurante popular de panela quente na rua Tiyu. O restaurante fica no lugar de um antigo ponto de coleta de lixo da vizinhança, e “zhazha” é uma gíria local para “lixo”. Foto: M. Scott via ChinaFile



He Wang Shi
Grupo de amigos comendo no Espetinho e Panela Quente Aromática do He Wang e Shi, um restaurante de comida de rua popular entre os nativos. Um dos jovens disse, “Gostamos do ambiente. É um lugar típico de Chongqing: os amigos se reúnem em um dia quente para suar juntos.” Foto: M. Scott via ChinaFile
Espetinho Shaokao
Homens tomando cerveja em um ponto de shaokao na rua Tiyu. Shaokao é um tipo de espetinho de diversos ingredientes, como carnes, tofu, cogumelos e vegetais (com pimenta, é claro). Em Chongqing, o cliente escolhe o ingrediente e o cozinheiro faz o resto: assa e depois mistura alho, cebola, pimenta ardida e outros sabores. Foto: M. Scott via ChinaFile
Shaokao
Algumas das opções de shaokao disponíveis na rua Tiyu. Foto: M. Scott via ChinaFile
Macarrão Dou Gan
Dou gan, uma receita de macarrão frito com amendoim e temperos, é um prato popular neste restaurante de macarrão sem nome a céu aberto atrás da Shibati, ou “18 Passos,” região central de Chongqing. Este local surgiu durante a Dinastia Ming, quando os moradores precisavam caminhar 18 passos até o poço de água que havia ali. Foto: M. Scott via ChinaFile
restaurante na China
Jiang Shijun é a gerente do botequim Cerveja da Meia Noite do Du Laowu, na rua Tiyu. O restaurante é um dos sete estabelecimentos que a família possui em Chongqing. Segundo Jiang, o restaurante serve cerca de 1.000 pessoas por noite e funciona sete dias por semana. Foto: M. Scott via ChinaFile
melancias
Vendedor de melancia à espera de clientes nos fundos da Shibati. Foto: M. Scott via ChinaFile
cozinheiro chinês
Cozinheiro dentro da cozinha do Panela Quente An Pang, que fica em um beco acima da rua Tiyu. Foto: M. Scott via ChinaFile
comida de rua na China
Tigelas de macarrão frito e congee, ou papa de arroz, são consumidas em um pequeno restaurante de macarrão sem nome atrás da Shibati. O cozinheiro, Tong Suchun, trabalha lá há cerca de 20 anos. Agora, que aquela região foi escolhida para ser reurbanizada, Tong diz que não sabe o que vai fazer depois que o restaurante fechar. “Vou tirar uma folga,” afirma, “e depois procurar algo novo.” Geralmente, o restaurante serve 200 pessoas por noite. A maioria dos clientes gasta aproximadamente ¥ 15, ou R$ 7,50. Foto: M. Scott via ChinaFile
restaurante chinês
Grupo comendo panela quente em um beco acima da rua Tiyu, enquanto funcionário repassa os pedidos das pranchetas penduradas para a cozinha. Foto: M. Scott via ChinaFile
espetinho comida chinesa
Cliente escolhendo os ingredientes para panela quente dos refrigeradores no Espetinho e Panela Quente Aromática do He Wang e Shi. Porções individuais de carne, vegetais e tofu são colocadas nos espetinhos que os clientes escolhem para levar às suas mesas de panela quente. Foto: M. Scott via ChinaFile
comida chinesa
Grupo comendo panela quente de uma tigela com nove divisões, uma especialidade de Chongqing. Apesar de morarem na vizinhança, os membros do grupo disseram que é a primeira vez que vão ao Gang Shan Zhazha porque a fila geralmente é muito grande. Os ingredientes favoritos do grupo nesta noite foram bucho de boi, tripa de boi e tripa de pato. Xiao Feng, sentada na ponta da mesa, disse “Nós (moradores de Chongqing) gostamos de comida com pimenta, mas isso tá muito apimentado para nós”. Foto: M. Scott via ChinaFile
restaurante chinês
Casal comendo espetinhos de frango e cordeiro, e tomando cerveja em uma barraca de comida dentro do Yangren Jie, um parque de diversões com réplicas de vários lugares do mundo (inclusive um Cristo Redentor de 10 m com vista para favela) localizado ao norte de Chongqing. O parque tem entrada gratuita e é muito popular entre os habitantes. Os espetinhos de carne custam ¥ 1, cada (R$ 0,50). Foto: M. Scott via ChinaFile
comida chinesa
Funcionários servem pequenos pratos de petiscos para clientes do Macarrão do Gatinho da Casa Velha (Lao Difang Mao’er Mian) próximo à Ciqikou, uma cidade histórica da época da Dinastia Ming. Estes petiscos, geralmente, são acompanhamentos para cerveja. O restaurante fica aberto 24 horas por dia. Ciqikou é uma atração turística importante em Chongqing, mas à noite os turistas desaparecem e os nativos chegam para comer nas barracas dos vendedores ambulantes de comida chinesa. Foto: M. Scott via ChinaFile
restaurante chinês
Hora do rango no Gang Shan Zhazha.Foto: M. Scott via ChinaFile
parque do estrangeiro China
Barraca de comida em frente à réplica da Muralha da China, no Yangren Jie, ou Parque do Estrangeiro, em Chongqing. Foto: M. Scott via ChinaFile

Artigo original: Eats on the Street – ChinaFile, 12 de fevereiro de 2015.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *